Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Márcia Oliveira

Spiritual Coaching

Márcia Oliveira

Spiritual Coaching

SE NÃO MUDARES AS SEMENTES NÃO MUDARÁS A COLHEITA

011618015_prevstill.jpeg

 

Muitos vivem incomodados com o rumo das suas próprias vidas. Adormecem e acordam com a sensação de estar cada vez mais longe dos objectivos, planos e sonhos que haviam traçado para si. Vivem num constante desajuste com a realidade quotidiana, como se nada do que experienciam nessas suas vivências fosse o que algum dia desejaram. Sobrevivem a uma serie de condicionalismos, uma sucessão de “tem de ser” como se a resignação fosse a única saída.  

 

Essas pessoas moram onde não se sentem bem, trabalham vendo as suas capacidades desperdiçadas, convivem com quem não simpatizam, frequentam espaços que drenam as suas energias, permitem a toxidade relacional. E assim passam os dias esquecidos de si mesmos, numa fuga diária à sua verdadeira essência, conformando-se com o que incomoda.

 

Devemos ter em consideração que a nossa vida hoje é consequência de atitudes, acções, pensamentos e escolhas do passado. Permanecer na mesma frequência é, como tal, uma opção.

 

É necessário eliminar tudo o que não proporciona crescimento e leva à estagnação, cortar com tudo o que não acrescenta. Por isso, é preciso estar sempre atento aos caminhos e descaminhos que compõem a nossa jornada, pois fomos nós mesmos que optamos por trilhá-los. Analisar o que em nós contribuiu para estarmos onde nos encontramos hoje, será essencial para que possamos mudar os rumos das nossas vidas, agindo de forma diferente, para então colher outros resultados.

 

Assim sendo, só fazendo valer uma realidade diferente hoje, através de uma postura diferente no agora, podemos começar a construir uma nova realidade amanhã. Seguir um caminho genuíno em direcção à felicidade, junto de quem nos provoca sorrisos sinceros.

FECHANDO CICLOS

Qual-seu-nível-de-esperança-Claudia-Holter-2.jpg

 

Aproxima-se o final de mais um ano, altura de balanços e “fecho de contas”. Pensamos em tudo o que ainda nos mantém insatisfeitos, o quanto do que ocorreu que não correspondeu às expectativas. Como consequência, é também o tempo em que, pensando na aproximação de um novo ano, sentimos maior propensão a projectar mudanças significativas nas nossas vidas…

 

No entanto, há alturas em que a própria vida nos surpreende e as situações se precipitam como verdadeiros sinalizadores que indicam o fecho de um ciclo. As badaladas podem soar a qualquer instante! Percebemos que não há data nem hora marcada para nos renovarmos.

 

Quando tal acontece, é necessário ter capacidade de aceitação e a sensibilidade de perceber que algo se deteriorou irremediavelmente. É preciso não ignorar as evidências, sob pena de sucumbirmos juntamente com o que agora termina. É preciso sair da zona de conforto já tão desconfortante, libertar do que nos mantém aprisionados e confiar na generosidade do Universo.

 

A partir da percepção de que tudo na vida é cíclico, é possível reposicionarmo-nos e fortalecermo-nos, percebendo que só dessa forma estaremos aptos a dar as boas vindas ao Novo, com todas as suas infinitas possibilidades, gerando novos projectos e propósitos. Só assim progredimos e evoluímos, só assim crescemos… E como sofremos com as dores de crescimento! Mas é por meio delas que passamos para a etapa seguinte.

 

Neste estágio, tendencialmente encontramos dificuldade de readaptação, tal é o dispêndio de energia emocional face ao caos interno. Aqui chegados, devemos retirar o aprendizado daquele contexto, despedindo-nos das mágoas, gratos pelos ensinamentos e pela oportunidade de seguir em frente. Sim, porque este é também um momento esplêndido e potencialmente criativo para validar o que pretendemos alcançar.

 

“Na vida nada se perde, tudo se transforma”. Acreditamos que coisas e pessoas são nossas, mas nada se perde porque nada efectivamente nos pertence… Vida é fluxo, é movimento, é transformação constante, sem garantias ou prazos de validade.

 

E se alguém escolheu deixar-te para trás nesta caminhada, é porque já não te acrescenta, só de diminui. Então, limpa as tuas lágrimas e sorri. Tu és maior que tudo isso, porque toda a decepção é finita e a esperança infinita. Desapega-te!

VIVER O "AGORA"

maior-liberdade.jpg

 

Muitas vezes, não conseguimos aceitar que nesta vida nada é eterno, nada permanece sempre igual; tudo flui e retoma seu caminho.

Muitas pessoas estão sempre focadas no que aconteceu no passado e isso torna-se um fardo pesado que carregamos no presente.

Mesmo que seja doloroso, aceite, assuma o passado e aprenda a perdoar. Isso o fará sentir-se mais livre e ajudará a concentrar-se no que realmente importa: “o aqui e agora”. Liberte-se!

O QUE ARRISCARIAS FAZER SE NÃO TIVESSES MEDO?

Essa é uma pergunta fundamental que você deve se fazer todos os dias para deixar de lado aquilo que te dá medo. Existem muitas maneiras de fazer as coisas, e é importante fazê-las de uma forma com a qual nos sentimos confortáveis. Muitas vezes, correr um risco pode-nos fazer sentir que o medo é algo totalmente superável e criado por nós mesmos.

Sair da nossa zona de conforto, fazer algo arriscado, sentir um pouco de ansiedade todos os dias, independentemente de se vamos conseguir ou não; tudo isso poderá nos proporcionar a alegria de viver e de saber que vale a pena aproveitar cada segundo da nossa existência.

tumblr_lxehf3lRxX1qe4vldo1_500.jpg

“Tudo parece impossível até que seja feito.”
-Nelson Mandela-

Limpeza energética de ambientes – técnicas simples

As técnicas a seguir podem ser utilizadas separadamente ou combinadas. Comece o quanto antes e notará a diferença instantaneamente.

limpeza_espiritual_da_sua_casa_03.jpg

> Utilize cristais específicos por toda a casa. Cristais de quartzo rosa, branco ou verde e ametistas servem para praticamente tudo. Uma vez por mês, lave esses cristais em água corrente, e deixe-os apenas por 15 minutos no sol para energizá-los.

 

> Utilize vaporizadores com ervas, defumadores, aromatizadores, incensos, etc. Crie uma rotina diária de aplicar esses preparados no ambiente, pois eles elevam o psiquismo do local com muita rapidez.

 

> Faça uma protecção psíquica na sua casa, imaginando que está envolvida por uma pirâmide de luz. As cores fluem de acordo com sua intuição. Pratique essa mentalização juntamente com a limpeza, todos os dias, de manhã e à noite.

 

> Invoque a presença dos Anjos e Arcanjos. Mentalize que seu lar ou ambiente é envolvido por presenças divinas. Crie essa ideia em sua mente, pois já será o suficiente para uma óptima conexão espiritual. Reze de acordo com sua crença, peça protecção e paz. Acima de tudo, agradeça muito.

fonte64.jpg

 

> Utilize som no local, com músicas de sons da natureza, principalmente com ruídos de água. Deixe essa música a tocar em volume agradável, mesmo quando ninguém estiver no local.

 

> Faça uso de plantas nos interiores dos ambientes. Elas são nossas aliadas e atuam com eficiência na elevação do psiquismo.

 

> Use fontes energéticas de água, principalmente nos cantos com menos circulação de energia (por exemplo, em baixo de escadas). Essas fontes são facilmente encontradas em casas esotéricas e floriculturas.

 

> Se conhecer outras técnicas, como, por exemplo, a limpeza energética pela radiestesia, inclua na sua rotina. A combinação de diferentes técnicas potencializa o efeito.

 

> Outras formas intuídas, desde que tratadas com respeito e cuidado, sendo devidamente estudadas as suas reacções.

Feng Shui e Space Clearing

feng-shui-quarto-2.jpg

 

Há dias uma amiga perguntava-me o que devia fazer para limpar uma cama que tinha comprado em 2ª mão. Para muitos uma boa limpeza com um pano e um detergente arrumaria com qualquer micróbio que viesse da antiga residência. Não era isso que ela pretendia. Ela queria saber como poderia eliminar os padrões energéticos existentes na cama deixados pelos seus anteriores utilizadores por forma a não vir a ser afectada por eles.

A cama é a nossa peça de mobiliário mais intima. A cama acompanha-nos no processo regenerativo que ocorre durante o sono, assiste aos nossos pesadelos mais tenebrosos e também aos nossos sonhos mais felizes, acolhe-nos quando estamos doentes e é leito para as nossas paixões mais intensas. Apesar de ser feita de um material diferente do nosso corpo, em termos energéticos a cama é quase uma extensão de quem lá dorme. No caso das camas de casal, poder-se-ia dizer que a cama é o espelho do seu relacionamento. Numa primeira fase, de forma simbólica, considerando a sua estética, as cores, as formas: se é simples ou mais complexa, se é sólida ou quase descartável, se tem uma base mais clássica ou um estilo mais contemporâneo. Depois disso e ao longo do tempo, pormenores como parafusos a soltarem-se e a viga central a desabar são exemplos de materializações da energia do relacionamento e estarão ligados respectivamente a situações disfuncionais na relação ou a algum acontecimento que tenha quebrado a confiança basilar da relação.

E serão só as camas a estar impregnadas da nossa energia? Claro que não, todos os outros móveis, objectos e as próprias paredes da casa retêm a energia dos habitantes. Em particular os espelhos, pelo facto de ‘quase filmarem’ o que se passa, retêm e espelham o que se vai passando e o que já se passou há muito tempo!. E qual é que é a questão? Há algum problema por isso? A realidade é que a energia Ki, aquela de que estamos a falar, está presente por todo o lado e quando dizemos que algum objecto fica com a nossa energia o que de facto estamos a dizer é que fica com o nosso padrão energético, a frequência vibratória emitida pelas nossas emoções. E a partir daí há como que um vai e vem entre nós e a casa, nós influenciamos a casa e os objectos e estes condicionam os nossos pensamentos e consequentemente as nossas emoções pelo que acabamos por ficar como que presos num circuito fechado.

Quando as emoções vividas são emoções positivas, ou seja, amor, afecto, alegria ou paz temos um circuito em que as mesmas se multiplicam e beneficiam a nossa vida e as dos que nos rodeiam e nesse caso é uma ‘roda-vida’ benéfica. Se, por outro lado, há experiências negativas em casa, sejam mais ligeiras como mau-humor, preocupação, resignação ou mais fortes como agressividade, humilhação, divórcio ou luto pela morte de alguém é difícil para a família ou para o habitante libertarem-se desses padrões mantendo o sofrimento e continuando a atrair experiências do mesmo tipo para a sua vida.

o-DESESPERO-facebook.jpg

 E o que fazer então? É necessário alterar os padrões vibratórios do ambiente com técnicas apropriadas para esse efeito. ‘Space Clearing’ foi uma expressão inicialmente usada por Karen Kingston nos anos 70 para um ritual de limpeza energética de espaços que desenvolveu a partir de práticas ancestrais de Bali. Actualmente esse nome é utilizado como que um chapéu abrangente que acolhe as mais variadas técnicas, a maior parte delas de origem tradicional uma vez que praticamente todos os povos desenvolveram técnicas para limpezas energéticas dos espaços.

shutterstock_98179148.jpg

 De forma genérica devem ser consideradas as seguintes fases :

· Avaliação dos objectos guardados - muitas vezes guardamos recordações, cartas, fotografias e outros objectos que têm intrinsecamente padrões vibratórios que nos prendem ao passado ou que de alguma forma não são úteis para a nossa vida actual. É preciso tomar consciência disso e quebrar a ligação, libertando-os da nossa casa.
· Organização em casa – a forma como temos ou não o que nos pertence arrumado ou em monte, afecta a forma como agimos perante o mundo e como percepcionamos a realidade
· Limpeza física – arejar, aspirar o pó, deitar fora o lixo e retirar manchas dos móveis ou do chão é básico mas essencial para o que vem a seguir. Tudo o que já está materializado é energeticamente mais denso e a fase seguinte lida apenas com energias subtis.
· Ritual de limpeza energética – Pode ser algo tão simples como um raminho de alecrim a ser defumado num passeio tranquilo pela casa ou momentos de meditação. Rituais mais sofisticados geralmente incluem a criação de um altar e o uso dos cinco elementos (ar, fogo, terra, metal e água). No fim criam-se novos padrões energéticos saudáveis em sintonia com as novas emoções pretendidas num processo onde a intenção toma um papel central.

Qual o resultado que pode ser esperado da limpeza do espaço? Pelo menos a percepção de que estamos a entrar numa nova fase da vida e que fechámos o ciclo ou ciclos anteriores. As cerimónias profissionais de Space Clearing devem ser efectuadas por indivíduos preparados e habilitados para o efeito até porque é possível as energias negativas “colarem-se” ao chi do praticante. No entanto, é bom que cada um de nós adopte técnicas simples e passíveis de efectuar de forma rotineira para manutenção da sua casa e dos seus objectos, como processo de manutenção do seu próprio caminho de vida.

 

Fonte: Escola Nacional de Feng Shui (Teresa Borges de Sousa)

Liberte-se de tralha, renove a sua energia

Tudo o que está fora, está dentro!

Se olhar de perto o seu mundo exterior pode constatar uma série de coisas que estão a atrapalhar o seu caminho. O exemplo mais óbvio é geralmente acúmulo de bagunça e "tralha". Se você tem um monte de coisas desnecessárias "fora", então é um indicador de que você tem um monte de coisas desnecessárias no interior.

feng-shui-armarios-baguncados.jpg

 

Acumular coisas em gavetas, armários, sótãos ou porões, representa os aspectos de nós mesmos que realmente não temos tempo nem energia para olhar. Mas isso vai ficar lá, juntando poeira ou mofo, se não fizermos algo a respeito. A energia só não vai fluir. As coisas irão simplesmente ficar lá, no escuro, estagnadas, incapazes de respirar ou sentir a luz do dia. Mais cedo ou mais tarde, teremos de olhar para tudo, de uma maneira, ou de outra. É melhor para nós, se não esperarmos até que a nossa vida chegue a um ponto de crise, ou pior, doença crítica.

Arrumar a casa, a empresa e os ambientes são formas práticas de fazer a energia movimentar-se. Principalmente se pegar tudo que não tem mais serventia e dar, vender ou atirar no lixo.

Além de renovar a energia, iremos sentir o ambiente mais limpo, arejado e amplo. Mas, há um outro ganho que poucos percebem: abrir espaço para as oportunidades da vida.

Explicando melhor: quando os nossos ambientes estão bagunçados e saturados de objectos, papéis e móveis sem uso e que atrapalham o dia-a-dia, além de perder tempo na tentativa de encontrar algo ou trabalhar nesta zona, fechamos ou retardamos a possibilidade de entrar novas energias ou oportunidades na nossa casa ou vida, por que "não há espaço disponível". Ou seja, guardar entulhos, velharias e tralha é um convite a uma vida sem novidades e estagnada.

É incrível como podemos auxiliar o processo de purificação interior, e elevar a nossa vibração, limpando e arrumando o que está em todos esses pequenos cantos e recantos.

 Que tal libertar-se das “traças energéticas” e entrar no novo ano com uma energia renovada!

Como a energia do ambiente interfere com a sua vida

templo-fengshui.jpg

 

Avalie: Quantas vezes, ao entrar num ambiente pela primeira vez, sentiu sensações inexplicáveis, às vezes benéficas, outras vezes muito negativas, em que teve a necessidade de deixar o local rapidamente…

Dores de cabeça, problemas de concentração, tristezas e raivas inexplicáveis…Isso nada mais é do que nosso campo energético sendo influenciado pelo campo energético do ambiente e nessa interacção trocamos constantemente energia com o ambiente!

O Space Clearing, ou limpeza energética de espaço, é um ramo do Feng Shui, que tem como objetivo purificar o ambiente e, consequentemente, o nosso corpo físico, mental e espiritual.
Trata-se de uma experiência potente e transformadora que pode constituir-se como um verdadeiro ponto de viragem. Normalmente, os bloqueios que sentimos em determinadas áreas da nossa vida, correspondem também a estagnações em zonas da nossa casa.

O Space Clearing permite reequilibrar essa energia e fazê-la fluir como um todo.

Activar o Chi do seu espaço com o Space Clearing! Afinal o que é o Chi?

fengshuibedroom.jpg

Simplesmente, Chi ( ou Qi ) é a alma ou substância de todas as coisas. É a força em redor e dentro de tudo o que existe no reino terreno, celestial e humano. Tanto em termos físicos como em termos meta-físicos, Chi é a força fundamental, vital e essencial que leva a vida para a frente. É o que nos liga a todos e a tudo. Apesar de não haver uma tradução literal para Chi, a que melhor se aplica é “sopro da vida”.


Esta definição pode parecer vaga e abstracta mas apesar disso, a ideia por trás do Chi tem muitas semelhanças com os princípios de energia quântica da física moderna. Fritjof Capra no seu livro, The Tao of Physics, afirma: “Tal como o campo quântico, o Chi é concebido por uma forma de matéria ténue e imperceptível que se encontra presente no espaço e que pode ser condensada em objectos sólidos. O campo, ou Chi, não é só a essência dos objectos mas também é o que torna possível as interacções entre objectos através da forma de ondas.”


Se ainda não está esclarecido, então aqui fica a definição por outras palavras. Chi é a “coisa” por trás de todas as coisas. É o que dá vida a plantas, animais, montanhas, oceanos e até a nós. É o material dos sonhos, intuição, destino e sorte. É o material no núcleo dos aviões, prédios, casas e das cadeiras onde se senta. É o que os mestres da acupunctura estimulam com as agulhas. É o que os artistas usam para criar obras de arte. E é o que os praticantes de Feng Shui armazenam para melhorar a saúde, a riqueza, a sabedoria e os relacionamentos.


O conceito de Chi não existe só no Feng Shui. Os japoneses têm o Ki, os Hindus têm o Prana, os Gregos têm o Pneuma, os Egípcios têm o Ankh, os Hebreus têm o Ruah, os Havaianos têm o Tane, os aborígenes australianos têm o Arunquiltha.


Independentemente do que lhe chamemos, o importante é identificar, controlar e direccionar esta força para o nosso beneficio. É este o objectivo do Space Clearing.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D