Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Márcia Oliveira

Spiritual Coaching

Márcia Oliveira

Spiritual Coaching

FECHANDO CICLOS

Qual-seu-nível-de-esperança-Claudia-Holter-2.jpg

 

Aproxima-se o final de mais um ano, altura de balanços e “fecho de contas”. Pensamos em tudo o que ainda nos mantém insatisfeitos, o quanto do que ocorreu que não correspondeu às expectativas. Como consequência, é também o tempo em que, pensando na aproximação de um novo ano, sentimos maior propensão a projectar mudanças significativas nas nossas vidas…

 

No entanto, há alturas em que a própria vida nos surpreende e as situações se precipitam como verdadeiros sinalizadores que indicam o fecho de um ciclo. As badaladas podem soar a qualquer instante! Percebemos que não há data nem hora marcada para nos renovarmos.

 

Quando tal acontece, é necessário ter capacidade de aceitação e a sensibilidade de perceber que algo se deteriorou irremediavelmente. É preciso não ignorar as evidências, sob pena de sucumbirmos juntamente com o que agora termina. É preciso sair da zona de conforto já tão desconfortante, libertar do que nos mantém aprisionados e confiar na generosidade do Universo.

 

A partir da percepção de que tudo na vida é cíclico, é possível reposicionarmo-nos e fortalecermo-nos, percebendo que só dessa forma estaremos aptos a dar as boas vindas ao Novo, com todas as suas infinitas possibilidades, gerando novos projectos e propósitos. Só assim progredimos e evoluímos, só assim crescemos… E como sofremos com as dores de crescimento! Mas é por meio delas que passamos para a etapa seguinte.

 

Neste estágio, tendencialmente encontramos dificuldade de readaptação, tal é o dispêndio de energia emocional face ao caos interno. Aqui chegados, devemos retirar o aprendizado daquele contexto, despedindo-nos das mágoas, gratos pelos ensinamentos e pela oportunidade de seguir em frente. Sim, porque este é também um momento esplêndido e potencialmente criativo para validar o que pretendemos alcançar.

 

“Na vida nada se perde, tudo se transforma”. Acreditamos que coisas e pessoas são nossas, mas nada se perde porque nada efectivamente nos pertence… Vida é fluxo, é movimento, é transformação constante, sem garantias ou prazos de validade.

 

E se alguém escolheu deixar-te para trás nesta caminhada, é porque já não te acrescenta, só de diminui. Então, limpa as tuas lágrimas e sorri. Tu és maior que tudo isso, porque toda a decepção é finita e a esperança infinita. Desapega-te!

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D